Monthly Archives: May 2013

“Para lá das colinas”, de Cristian Mungiu

cristian mungiu dupa dealuri

Quando Cristian Mungiu ganhou a Palma de Ouro de Cannes, em 2007, com “4 meses, 3 semanas e 2 dias”, compreendemos que as convulsões da sociedade romena estavam a gerar um cinema de consciência crítica (social, justamente), em que as tensões individual/coletivo desempenhavam um papel determinante. Aliás, antes mesmo desse triunfo, através de obras importantes de Cristi Puiu (“A morte do Sr. Lazarescu”, 2005) ou Corneliu Porumboiu (“12:08, a este de Bucareste”, 2006), começamos a compreender que essa “nova vaga” da Roménia se enraizava numa invulgar vontade de realismo. “Para lá das colinas” ajuda a Continue reading

Advertisements

“Bestas do sul selvagem”, de Benh Zeitlin

capa benh zeitlin bestas do sul selvagem

Há um estranho acréscimo simbólico na redescoberta de “Bestas do sul selvagem” em dvd. Dir-se-ia que o filme possui a agilidade de uma reportagem, nessa medida não podendo deixar de evocar alguns modelos televisivos, ao mesmo tempo que se escapa, momento a momento, cena a cena, para um Continue reading

“A lista de Schindler”, de Steven Spielberg

capa steven spielberg schindlers list

Num dos extras do dvd de “A lista de Schindler” (1993), agora retomado na edição em blu-ray, Steven Spielberg refere como motivação decisiva para a concretização deste filme a dupla descoberta que envolveu: o reencontro com as memórias do Holocausto acabou por funcionar também como uma viagem muito particular e, por certo, muito íntima do Continue reading

“Union”, de Paradoxical Frog, e “Capricorn climber”, de Kris Davis

capa paradoxical frog union

A pianista e compositora canadiana Kris Davis, não obstante a distinção que tem vindo a granjear na cena jazz nova-iorquina e mundial, parece permanecer ainda um segredo relativamente bem guardado por territórios lusos – e nem os vários álbuns que, desde 2010, lançou pela portuguesa Clean Feed conseguiram alterar essa condição. Dois CDs recentes poderão, contudo, ajudar a corrigir tamanha injustiça. “Union”, lançado no final de 2012, dois anos depois da estreia homónima, dá nome ao segundo trabalho discográfico do trio Paradoxical Frog, no qual Kris Davis se faz acompanhar pelo versátil percussionista e trombonista Tyshawn Sorey (que é, tal como Davis, acompanhante algo regular de Sara Serpa nos seus périplos concertísticos em Nova Iorque) e pela soprista alemã Ingrid Laubrock. A irregularidade rítmica da bateria e o Continue reading

“O substituto”, de Tony Kaye

capa tony kaye o substituto

Estranha conjuntura: vemos e ouvimos infinitos debates sobre a “escola”, os “alunos” e os “professores”, todos eles imbuídos de uma urgência mais ou menos gritada sobre a gravidade do momento que vivemos, a necessidade de preservar os valores que nos unem, enfim, as ameaças que pairam sobre a juventude… Ao mesmo tempo, esta é uma sociedade que não sabe transformar num grande e genuíno acontecimento um filme como “O substituto”. Porquê? Porque a Continue reading

“Os intervalos do cinema”, de Jacques Rancière

capa jacques ranciere os intervalos do cinema

Em “O espectador emancipado” (Orfeu Negro, 2010), discutindo o pensamento que se enreda com o ato de ver, Jacques Rancière socorria-se de uma expressão de Godard: “a fraternidade das metáforas”. Ou seja, “a possibilidade de escrever de múltiplas maneiras a história do século em virtude do duplo poder de cada imagem: o de condensar uma multiplicidade de Continue reading

“A essência do amor”, de Terrence Malick

terrence malick to the wonder

Podemos aceitar a sugestão transcendental do título português dado ao filme de Terrence Malick. Mas algo ficou pelo caminho. De facto, o original “To the wonder”, a que corresponde o “À la Merveille” adoptado em França, envolve uma energia simbólica que não é Continue reading