“Bestas do sul selvagem”, de Benh Zeitlin

capa benh zeitlin bestas do sul selvagem

Há um estranho acréscimo simbólico na redescoberta de “Bestas do sul selvagem” em dvd. Dir-se-ia que o filme possui a agilidade de uma reportagem, nessa medida não podendo deixar de evocar alguns modelos televisivos, ao mesmo tempo que se escapa, momento a momento, cena a cena, para um território alternativo onde apenas podem ser satisfeitas as exigências da fábula. Dizer que Benh Zeitlin quis fazer uma evocação “poética” da destruição provocada pelo furacão Katrina é, afinal, insuficiente para sugerir o que está em jogo. No limite, talvez possamos definir o seu filme como um retrato muito concreto e sofrido do sul dos Estados Unidos que se vai transfigurando numa parábola universal sobre a arte da sobrevivência e, enfim, o desejo de viver. Quvenzhané Wallis, que se transformou na pessoa mais jovem (nove anos) a ser nomeada para o Óscar de melhor interpretação feminina, é o símbolo perfeito de tal processo narrativo: ela é, de uma só vez, uma emanação natural da paisagem e a mais complexa das atrizes.

João Lopes

dvd “Bestas do sul selvagem” [“Beasts of the southern wild”], de Benh Zeitlin, com Quvenzhané Wallis, Dwight Henry,…
Alambique, 2012 / 2013

 

texto no Doodles

texto no Sound + Vision

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s