Monthly Archives: September 2012

“Snakelust (to Kenji Nakagami)”, dos Hairybones

São 53 inflamados minutos que esmagam do princípio ao fim da sua audição. Registo do concerto do projeto Hairybones na edição de 2011 do festival Jazz em Agosto da Fundação Calouste Gulbenkian, “Snakelust (to Kenji Nakagami)” une num arrebatador jazz libertário, eminentemente físico, visceral e Continue reading

Advertisements

“Adeus, minha rainha”, de Benoît Jacquot

Filmado no Palácio de Versalhes, “Adeus, minha rainha” é uma sublime mise en scène das fragilidades da sumptuosa corte de Luís XVI. Em Paris, em 14 de julho de 1789, no momento em que eclode a Revolução Francesa com a tomada da Bastilha, o olhar de Sidonie Laborde (Léa Seydoux) – a leitora e dama de companhia de Maria Antonieta (Diane Kruger) – revela-nos a Continue reading

“As origens da ordem política – Dos tempos pré-humanos até à Revolução Francesa”, de Francis Fukuyama

Esta recente obra do pensador, professor e investigador norteamericano Francis Fukuyama – autor do crucial ensaio de economia e ciência política contemporânea que é “O fim da história e o último homem” – é o primeiro de dois volumes dedicados a uma análise transdisciplinar das origens da ordem política e à evolução das suas instituições. Partindo dos problemas estruturais da nossa era, como o retrocesso das Continue reading

“Centipede hz”, dos Animal Collective

O sucessor do imponderável “Merriweather Post Pavilion” apresenta-se como mais uma apurada coleção de fantasias psicadélicas e delirantes experimentos meta-pop. Escrito, composto e ensaiado num celeiro na terra natal da banda, Baltimore, o disco reforça a incansável perícia criativa dos Animal Collective em encontrar novas formas de redefinir a sua (mutante e onírica) linguagem musical. “Centipede hz” não tem o Continue reading

“Levantar o céu – Os labirintos da sabedoria”, de José Mattoso

Numa era de desencanto generalizado, José Mattoso agrupa uma coletânea de textos “cívicos”, “espirituais”, inspirados no “senso comum”, na “mensagem evangélica”, na “História” e em “princípios intemporais”, cujo fio condutor é a demanda pela sabedoria. Trata-se de considerações redigidas entre 1994 e 2011, que incluem palestras, conferências, alguns prefácios (para o texto místico do século XIV “A nuvem do não-saber”, por exemplo) e um escrito inédito, nas quais se cruzam as suas perspetivas de historiador e monge. Dividida em Continue reading

Norah Jones, discos e concerto em Lisboa

É já amanhã que Norah Jones pisará novamente solo português, agora para apresentar o seu quinto álbum de originais a solo, “… Little broken hearts”. Lançado em maio deste ano e produzido por Danger Mouse – um dos rostos criativos dos Gnarls Barkley e dos Broken Bells, que já orientou trabalhos longos de Beck (“Modern guilt”), The Black Keys (“Attack & release”, “Brothers” e “El camino”) ou The Rapture (“Pieces of the people we love”), entre muitos outros –, o disco da compositora e intérprete norteamericana é uma narrativa feita de 12 canções, por um lado fiel ao seu Continue reading

“Hélio Oiticica – Museu é o mundo” no Museu Coleção Berardo, Lisboa

Comissariada por Fernando Cocchiarale e César Oiticica Filho, a exposição “Hélio Oiticica – Museu é o mundo” compreende o segundo grande momento de apresentação da obra do artista brasileiro em Portugal, quando se assinalam quase duas décadas desde a mostra que teve lugar no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, no início de 1993. Com 117 criações contempladas no espaço expositivo, esta panorâmica dedicada a um dos vultos definidores das vanguardas artísticas do Brasil moderno abrange os Continue reading