“Coin Coin, chapter two – Mississippi moonchile”, de Matana Roberts

capa matana roberts coin coin chapter two

Muito para além de todo o jazz, muito para além de toda a música, testemunha-se aqui uma prelativa e singularíssima parábola de arte como religião, como política ou como história social. Ancestral e vanguardista, cerebral e apiedado, espiritual e carnal, telúrico e celífero, avassalador libelo contra o branqueamento da memória, celebratório da vida, da verdade, da intangibilidade ontológica, dos labirintos da demência e do amor, evocação de uma cruel liberdade como garantia de perenidade ascética – assim é o fractal edifício escorado no segundo de 12 tomos prometidos para esta suite orquestral de metajazz, que desenvolve uma inexorável narrativa (tangencialmente autobiográfica?) cartografada em torno dos imanentes escombros morais da escravatura crivados nas gerações que se lhe seguiriam, até hoje, até ao futuro. Se a fundação de “Coin Coin, chapter one: Gens de couleur libres” (2011) era um grito de inefável profundidade catártica, a colapsar, minado de dor intoleravelmente visceral, a do irrepreensível novo capítulo é jornada irredutível de exorcismo e redenção, mais intimista, espectral, lacónico, reflexivo, (con)centrado. Uma tour de force dramática (no duplo sentido) capaz de elevar novamente a música – 44 anos depois dessoutra obra-prima escrita por Mary Maria Parks e assinada por Albert Ayler – à dimensão de “healing force of the universe”.

Bruno Bènard-Guedes

disco “Coin Coin, chapter two: Mississippi moonchile”, de Matana Roberts
Constellation Records / Popstock, 2013

 

texto originalmente publicado no Jornal de Letras nº 1133, de 5 março 2014

 

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s