“Early works”, de Anne Teresa De Keersmaeker, no Centro Cultural de Belém, Lisboa

São três décadas de uma obra que agora se assinalam em Lisboa (cidade com quem mantém uma antiga, regular e saudável relação profissional) com o papel de protagonista na bienal Artista na Cidade e enquanto Artista Associada da Temporada do Centro Cultural de Belém. Uma carreira que, pela dança, faz a permanente apologia da música (também da música das palavras declamadas, p.ex.) como combustível por excelência do potencial criativo absoluto do tempo e do espaço do corpo humano. Nos bailados da coreógrafa Anne Teresa De Keersmaeker e da sua companhia Rosas, as peças sonoras ocupam tendencialmente essa razão da origem do ato artístico, a partir do qual se concebem as coordenadas de movimento e ação dramatúrgica que, espetáculo após espetáculo, se solidificam no seu rol de conceitos, intenções e experiências. Uma demanda evolutiva constante que poderá ser devidamente apreciada no imperdível arranque deste longo programa dedicado à artista belga: entre hoje e a próxima 5ª feira, o projeto “Early works” devolve aos palcos os fulgurantes passos iniciais deste capítulo crucial da história da dança contemporânea, sequenciando no Grande Auditório do C.C.B. as peças “Fase – Four movements to the music of Steve Reich” (1982), “Rosas danst Rosas” (1983), “Elena’s aria” (1984) e “Bartók / Mikrokosmos” (1986). Unidos por regras simbólicas como o número máximo de cinco intérpretes ou, nos três primeiros casos, a ausência de bailarinos masculinos, estes retratos paradigmáticos da vanguarda balética europeia da década de 80 ganharão certamente um outro fôlego ao serem agora revistos (ou vistos pela primeira vez, como no caso de “Elena’s aria”, que não era encenado há quase 20 anos) nestas quatro noites de celebração. A mesma sala acolherá, em junho, a estreia nacional da mais recente composição da autora, “Cesena” (2011). Para ver até ao fim do ano, ainda teremos trabalhos de Anne Teresa De Keersmaeker apresentados no Teatro Maria Matos, na Fundação Calouste Gulbenkian, na Culturgest ou no Teatro São Luiz, entre diversos outros espaços da capital.

3 fevereiro, 9 pm
“Fase – Four movements to the music of Steve Reich”, de Anne Teresa De Keersmaeker
Centro Cultural de Belém, Lisboa

4 fevereiro, 9 pm
“Rosas danst Rosas”, de Anne Teresa De Keersmaeker
Centro Cultural de Belém, Lisboa

7 fevereiro, 9 pm
“Elena’s aria”, de Anne Teresa De Keersmaeker
Centro Cultural de Belém, Lisboa

9 fevereiro, 9 pm
“Bartók / Mikrokosmos”, de Anne Teresa De Keersmaeker
Centro Cultural de Belém, Lisboa

 

site da companhia Rosas

site da bienal Artista Na Cidade

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s