“Cosmopolis”, de David Cronenberg

capa david cronenberg cosmopolis

Em boa verdade, talvez se possa reconhecer sem drama que o romance “Cosmopolis”, de Don DeLillo, era “impossível” de transpor para cinema. Justamente, estamos a falar de um cineasta que conhece o poder das imagens e dos sons: Cronenberg opta por ocupá-lo (como um chefe militar), chamar-lhe coisa sua e fazer o menos óbvio dos filmes mais visceralmente “cronenberguianos”. Porquê? Porque, à maneira radical de “Irmãos inseparáveis” (1988) ou “Crash” (1996), esta é uma parábola sobre a trágica desagregação do fator humano: já ninguém se relaciona com ninguém… e o vazio que assim se instala só se mede em termos de dinheiro. Detalhe a ter em conta: nos extras desta magnífica edição, o “making of” mostra como tudo isso nasce de uma tocante proximidade afetiva com os atores. Para quem acreditar que Robert Pattinson é apenas o modelo inerte de “Twilight”, sugere-se uma rápida reavaliação das suas crenças.

dvd “Cosmopolis” [“Cosmopolis”], de David Cronenberg, com Robert Pattinson, Paul Giamatti, Juliette Binoche,…
Alfama Films / Leopardo Filmes, 2012

João Lopes

 

texto no Doodles

texto no Sound + Vision [ 1 ]

texto no Sound + Vision [ 2 ]

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s