“Filomena”, de Stephen Frears

stephen frears philomena

Stephen Frears, cineasta do fausto de Hollywood (“Ligações perigosas”, 1988), mas sobretudo de uma pulsão realista visceralmente britânica (“A minha bela lavandaria”, 1985), mantém-se fiel às suas origens. A começar pela BBC, onde iniciou a sua carreira na década de 70 — “Filomena” é uma produção do canal de televisão que mantém a sua especificidade cinematográfica, de raiz melodramática. As suas peripécias — uma velha senhora (Judi Dench) que procura reencontrar o filho, meio século depois de o ter “cedido” para adopção, num convento irlandês, tendo um jornalista (Steve Coogan) como principal aliado — desafiam as mais básicas crenças de verosimilhança e bem poderiam ilustrar a imaginação delirante de um argumentista à solta… O certo é que estamos perante um caso verídico, aliás testemunhado de forma exaustiva pelo livro (“The lost child of Philomena Lee”) que o jornalista Martin Sixsmith escreveu sobre a sua experiência de trabalho com Philomena. Para Frears, não se trata de encontrar cauções descritivas ou de provar o que quer que seja, mas sim de explorar o poder de uma elaboração narrativa sempre seduzida pelos detalhes menos óbvios, por certo mais reveladores, das suas personagens. Assim, se é verdade que “Filomena” possui o fôlego de um ensaio sobre a possibilidade do perdão face às agruras da vida, não é menos verdade que, no quase “suspense” do seu desenvolvimento, o cineasta contempla o singular processo de contaminação emocional entre Martin e Philomena — o filme começa com o estabelecimento da sua aliança mais ou menos superficial, por assim dizer instrumental; a pouco e pouco, compreendemos que cada um deles será tanto mais afetado pelo outro quanto mais as suas diferenças parecem desenhar um espaço de inusitados canais de comunicação e comunicabilidade. Chama-se a isso um olhar humanista, coisa tristemente fora de moda que, em boa verdade, se adequa exemplarmente à indiferença com que Frears continua a encarar os ditames de qualquer moda cinematográfica.

João Lopes

6 fevereiro [estreia nacional]
filme “Filomena” [“Philomena”], de Stephen Frears, com Judi Dench, Steve Coogan,…
Zon, 2013 / 2014

 

texto no Sound + Vision [ 1 ]

texto no Sound + Vision [ 2 ]

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s